O desejo de todo designer

A necessidade de mostrar ao mundo algo que possa ser importante para as pessoas é desejo de todo designer. Porém isso nem sempre é possível, já que praticamente tudo já foi pensado.

Então, como buscar a inovação em um cenário onde não há mais o que ser inventado? Esse é o grande desafio da profissão de designer.

Pensar, criar, projetar, voltar a pensar, é a rotina de um profissional que vive para mostrar, de maneira simples, formas diferentes de solucionar problemas sem perder a função original do objeto – seja um móvel, um cartaz ou qualquer outra forma de representação.

Mas quando começamos a pensar em design, surgem perguntas. A mais comum é: o que é Design? É desenho? O que faz um designer?

Resumidamente, o designer projeta – sem ser projetista – , ele busca formas para solucionar situações simples, como abrir uma porta, subir uma escada, ler um livro, acessar um site de internet. Sim, o designer é o responsável por tornar a vida mais simples, mais prática e ao mesmo tempo mais bonita.

Quando uma empresa começa a investir em design, a diferença é sentida rapidamente, pois todo o processo mais robusto, minimizando erros – afinal design é projeto. Temos um aumento de receita (lucro) em seus produtos porque eles ficam mais bonitos e ganham prestígio com isso.

Ninguém compra um produto por ser feio, mas compra se for bom.

Então porque não deixar o que é bom, melhor?

Mágica?

Não, design.

Ao utilizar as ferramentas do design como diferencial, os produtos ganham visibilidade no mercado e isso gera vendas. Ao destacar seu produto com uma embalagem interessante, em um display bem montado no ponto de venda, com o apoio de um cartaz bem diagramado e um site bem planejado, sua marca e seus produtos com certeza terão maior aceitação do público.

O direcionamento ao perfil de quem consome é uma tarefa que faz parte do planejamento do designer no início do desenvolvimento de uma peça.  Esse diferencial é que torna o design uma ferramenta mercadológica. Passa pelos princípios de marketing – 4Ps e posicionamento – indo de encontro às necessidades básicas do cliente.

Começando pela marca, até a fachada, passando por toda a linha de produtos, comunicação visual interna, site de internet a padronização visual é um elemento que garante o profissionalismo da empresa perante os olhos do seu cliente e diferencia você dos seus concorrentes. A imagem de sua empresa é seu maior patrimônio. E o exemplo mais claro disso é a Nike, que não possuí uma única fábrica, mas sua marca é avaliada em alguns bilhões de dólares.

As empresas virtuais, como a Google, também estão nesse ranking – estimada em U$ 86 bilhões – e podem ser de fundo de quintal ou possuir prédios gigantescos abrigando seus servidores.

O design pode colocar todos em um mesmo patamar, ou melhor, em um mesmo pedestal digno de multinacional.

Podemos dizer que a sua empresa precisa de design assim como seu consumidor precisa reconhecer a qualidade de seu produto já na embalagem que ele veste. Aliado a uma marca que transmita a força e confiança que sua empresa tem. Lembre-se as Coca-Cola e do McDonald’s, que são exemplos de marketing amparado em uma marca forte e com design único, elaborado para ela e não copiado de algum catálogo ou site da internet.

A sua empresa é única e a imagem deve ser ímpar e perfeita. O design de seus produtos, embalagens e toda a comunicação corporativa devem seguir o mesmo caminho, a mesma linguagem, afinal é a mesma empresa. E isso só um profissional de design pode fazer.

Tem alguma dúvida ou comentário?
Deixe uma mensagem. Se preferir, entre em contato